02. Escolhidos e Santificados

Texto  Bíblico

“Eu,  Pedro,  apóstolo  de  Jesus  Cristo,  escrevo  esta  carta  aos  escolhidos   que  vivem  como  estrangeiros  nas   províncias  de  Ponto,  Galácia,  Capadócia,  Ásia  e  Bitínia.”  (1  Pedro  1:1  NVT) “

Meditação

A  segunda  bem-­‐aventurança  -­‐  felizes  os  que  choram  -­‐  jamais  cairá  no  vazio,  porque  enquanto  houver  vida  humana   haverá  dor,  infelicidade  e  lágrimas.    Ainda  que  nosso  choro  seja  expressão  de  impotência,  frustração,  de  egos   contrariados,  e  não  de  arrependimento  por  pecados,  por  causa  dele  Deus  é  confrontado  quando  falta  a  esperança.

O  sofrimento  humano  é  um  tema  recorrente  em  todas  as  religiões.  No  caso  do  Cristianismo,  as  dúvidas  se   aprofundam  com  o  aparente  paradoxo  de  um  amor  que  permite  e  convive  com  o  sofrimento.  As  motivações   temerárias   para  esses  questionamentos  não  encontram   lugar   nos   domínios   da  pessoa  de  Deus,  mas  no   egocentrismo  humano.  O  resumo  de  tudo  isso  é  que  eu  e  você  não  reagimos  bem  à  afirmação  de  que  somos   privilegiados  por  sofrer.

No  entanto,  é  este  o  argumento  de  Pedro,  no  início  de  sua  carta  para  judeus  e  gentios  perseguidos  que  procuraram   refúgio  nas  regiões  do  norte  da  Ásia  Menor.  Suas  primeiras  palavras  exaltam  as  misericórdias  de  Deus,  que  deram   aos  cristãos  um  nascimento  maravilhoso,  uma  herança  gloriosa  e  a  salvação  de  suas  almas.  Para  enfatizar  a  natureza   desse  privilégio  o  apóstolo  usa  palavras  antes  aplicadas  apenas  aos  judeus:  eleitos,  escolhidos  e  peregrinos.

A  palavra  escolhido  foi  usada  em  referência  a  Israel  por  Deus,  mas  Jesus  também  a  utilizou  em  alusão  aos  seus   seguidores.  Gente  escolhida  para  viver  fora  do  mundo,  em  pureza  moral,  embora  estando  nele.  Por  essa  condição   excepcional  tidos  como  estrangeiros,  com  tesouros,  afeições  e  esperança  na  morada  permanente.  Mas  enquanto   ela  não  se  consolida,  a  nacionalidade  e  residência  provisória  constituem  uma  ambiência  de  hostilidade  e  ódio,   semelhante  a  que  é  dada  a  refugiados  em  muitas  partes  do  mundo.

Nosso  grande  desafio  é  viver  em  santificação  no  Espírito  entre  os  extremos  perigosos  de  vivências  cristãs  que  não   produzem  impacto  algum  no  mundo,  ou  de  práticas  cativas  da  cultura  e  desprovidas  do  Evangelho.

Repetindo  várias  vezes  as  palavras  sofrimento  e  glória,  Pedro  deixa  evidente  que  elas  não  são  opostas  e  que  sua   preocupação  não  diz  respeito  apenas  às  aflições,  mas  à  ação  cristã  no  mundo  enquanto  a  injustiça  for  a  regra.  Como   afirma  Tom  Sine,  as  rápidas  transformações  globais  vêm  atirando  muitos  cristãos  e  igrejas  numa  viagem  alucinada,   cheia  de  contratempos  e  eventos  inesperados,  que  desafiam  nossa  fé.  Não  queremos  apenas  sobreviver  a  ela,   desejamos  algo  mais,  para  nós,  nossas  famílias,  igrejas  e  organizações  cristãs,  ou  seja,  a  esperança  viva  que  há  em   Cristo,  e  que  nos  foi  dada  como  escolhidos  e  santificados.

Leia  também 

Deuteronômio 4:37;  Mateus  6:19;  João  15:16,19;  João  17:17;  Atos  4:20;  1 Coríntios  1:2,  6:11;  Filipenses  3:20;  1 Tessalonicenses  2:8;  1  João  1:1-­‐3.

Sugestões  para  Discussão  em  Grupo 

  • Que  privilégios  temos  como  escolhidos  e  santificados?
  • Que  situações  e  contextos  têm  desafiado  nossa  fé?
  • Como  podemos  manifestar  esperança  aos  que  estão  à  nossa  volta
  • Como  a  igreja  pode  manifestar  esperança  ao  mundo?

Sugestão  de  Oração

“Senhor  Deus,  reconhecemos  que  pela  tua  graça,  e  não  por  nossos  méritos  pessoais,  fomos  escolhidos  para  viver   em  santidade  no  meio  de  uma  sociedade  injusta,  incrédula  e  hostil  ao  Evangelho.  Pedimos  o  auxílio  do  Santo   Espírito  para  suportar  o  sofrimento,  e  participar  da  glória  de  Cristo,  de  tal  forma  que  a  esperança  seja  vista  em   nós.  Oramos  em  nome  de  Cristo!  Amém”

Arquivo

Devocional 02 – Escolhidos e Santificados.pdf

Print your tickets