26. Cuidar e servir

Texto  Bíblico

“E agora, uma palavra aos presbíteros em seu meio. Eu, que também sou presbítero, testemunhei os sofrimentos de Cristo e também participarei de sua glória quando ela for revelada. Assim, peço-lhes que cuidem do rebanho que Deus lhes confiou com disposição, e não de má vontade; não pelo que lucrarão com isso, mas pelo desejo de servir a Deus. Não abusem de sua autoridade com aqueles que foram colocados sob seus cuidados, mas guiem-nos com seu bom exemplo. E, quando vier o Grande Pastor, vocês receberão uma coroa de glória sem fim.” (1 Pedro 5.1-4 NVT)

Meditação

LÍDER QUE NÃO SERVE, NÃO SERVE. Não sei se essa frase (e a verdade que ela comunica) seria bem recebida pelos papas da literatura sobre liderança – corporativa ou não – e pelo seu público alvo.

Líder cooperativo? Claro!
Líder inspirador? Sem dúvida!
Líder visionário? Sensacional!
Líder criativo? Fenomenal!
Líder agregador? Imprescindível!
Líder gestor? Básico, não?!
Líder automotivado? E existe algum outro tipo?!
Líder servo? Errr… …como assim?!        

Pois é! Essa é a principal característica da liderança dentro do Reino de Deus. Ela é servil. Não está primariamente preocupada com a gestão de processos e recursos – importantes, claro, conquanto essencialmente instrumentais – senão com o cuidado e zelo com cada membro do rebanho de Deus em sua jornada rumo ao lar celestial. O modus operandi do Reino de Deus é, literalmente, de outro e para outro mundo.

A função de um líder do Reino de Deus é assegurar, no que depender dele, que o rebanho chegará seguro ao seu destino eterno.

Não é responsabilidade pequena. Ele deve se doar, desdobrar-se, gastar e deixar-se gastar para que o rebanho seja protegido, alimentado, reanimado, fortalecido, enquanto segue seu caminho para encontrar o Grande Pastor. Esse é, aliás, o grande alerta de Pedro nesse texto: o rebanho sob os nossos cuidados não nos pertence, amados presbíteros. Não somos seus possuidores. Somos relembrados pelo apóstolo, queridos irmãos em Cristo, ovelhas do Senhor, e companheiros de armas, amados presbíteros da CBMoema, que nossa liderança não existe para outro propósito que não honrar o Grande Pastor, servindo ao Seu rebanho.

Como servimos? Com disposição, determinação, coragem, abnegação, generosidade, moderação, equilíbrio, sensatez e, em tudo, exemplos.

E mais, Pedro deixa claro que as recompensas da liderança servil existem. São reais. São prometidas. São garantidas. Mas são escatológicas, futuras. Ninguém ganha uma medalha sem antes ter lutado e prevalecido. Seremos recompensados apenas e tão somente na volta do Grande Pastor, o Senhor Jesus Cristo.

E jamais cedamos à tentação de tomar qualquer atalho para atenuar os sentimentos de desgaste pelo exercício da liderança servil, no presente. Nosso exemplo, sobretudo nesse aspecto, é vital em tempos como os nossos, para contrapor aos lobos em pele de pastores que aproveitam do medo e fragilidade do próximo.

O rebanho, protegido, seguro e bem conduzido, agradece. Mas é do Grande Pastor, afinal, que devemos querer ouvir “Muito bem, servo bom e fiel! Entra no gozo do seu Senhor.”

Leia  também 

Isaías 40.11; Jeremias 3.15; 23.1; Ezequiel 34.1-31; Mateus 20.25-26; João 10.11, 14; 21.15-17; 1 Coríntios 9.7, 17, 25; 1 Timóteo 3; Tito 1.7-16

Sugestões  para  Discussão  em  Grupo 

  • O presbitério (pastores e presbíteros) da CBMoema é caraterizado, sobretudo, pela disposição em servir?
  • Como o rebanho pode cooperar para que seja bem cuidado? Hebreus 13.17

Sugestão  de  Oração

“Grande Pastor, te adoramos! Dá aos cuidadores do Teu rebanho amor, zelo e coragem para conduzir-nos em segurança e, como Tuas ovelhas, clamamos por submissão e docilidade à Tua voz. Em Teu Santo Nome. Amém.”

Arquivo

Devocional 26 – Cuidar e servir.pdf

Print your tickets