Deus não é um ser distante ou inacessível, nem tampouco uma mera força ou energia.

Deus é uma pessoa e quer se relacionar com o homem. O relato bíblico nos diz que, no princípio, o ser humano tinha um relacionamento perfeito com Deus. A comunicação era direta e a intimidade, perfeita. Todavia, o homem escolheu desobedecer a Deus, criando uma separação e inimizade entre Deus (perfeito) e o homem (corrompido).

Desde então, todo homem está separado de Deus até que dele se reaproxime. Isto não se dá ao seguirmos regras impostas por uma religião, nem porque vamos ou pertencemos a uma igreja. Não nos chegamos a Deus fazendo obras de caridade, nem buscando ser bons. O que garante nosso acesso a Deus é a obra de Jesus Cristo – sua encarnação, vida, morte e ressurreição. Deus veio ao mundo para, morrendo na cruz, sofrer a consequência da nossa desobediência. Quando Jesus caminhou por esta terra, disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (Evangelho segundo João cap. 14 verso 6).

Desta forma, Jesus é nosso representante e substituto, sendo ele mesmo nossa justiça, santidade e redenção. Basta-nos depositar nossa fé em Jesus. A Bíblia diz: “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo” (Carta de Paulo aos Romanos cap. 5 verso 1). A Bíblia acrescenta: “Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos” (Os Atos dos Apóstolos cap. 4 verso 12).

Quando depositamos nossa fé em Jesus, nos reaproximamos de Deus e podemos desenvolver um relacionamento pessoal com ele. Isto fica claro na Carta de Paulo aos Efésios cap. 3 verso 12: “por intermédio de quem temos livre acesso a Deus em confiança, pela fé nele [Jesus Cristo]”. Quer saber mais sobre como se relacionar com Deus? Leia o Evangelho (esta palavra significa boas notícias) segundo João, depois vá para o Evangelho segundo Marcos.