Deus está de ouvidos abertos

Um fariseu perguntou a Jesus: “‘Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?’. Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas”(Mt 22.36-40).

Que devemos amar a Deus acima de tudo e ao nosso próximo como a nós mesmos, todos sabemos. Mas, quando o assunto é oração, nossa natureza egoísta revela-se e, sejamos sinceros, a tendência é, sem dúvida, orarmos por nós mesmos.

Se o mandamento não fosse claro o suficiente, a Bíblia reitera sem espaço para dúvida: “Orem uns pelos outros” (Tg 5.16).

Em Atos 12.5, lemos que, enquanto Pedro estava preso, “a igreja orava intensamente a Deus por ele”. O rei Herodes perseguia os cristãos. Mandou matar Tiago e, em seguida, prendeu Pedro. Enquanto intercediam os irmãos, “repentinamente apareceu um anjo do Senhor, e uma luz brilhou na cela. Ele tocou no lado de Pedro e o acordou. ‘Depressa, levante-se!’, disse ele. Então as algemas caíram dos punhos de Pedro” (At 12.7). Pedro saiu ileso da cadeia e pela porta da frente pois o Senhor cegou os seus inimigos diante dele.

Devemos orar uns pelos outros individualmente e como igreja. Semanalmente, em nosso Pequeno Grupo (PG), compartilhamos pedidos de oração. Com frequência, na comunidade e em outros lugares, alguém vem até nós e pede: “Ore por mim”. E, ainda que não peça, se compartilha um desejo ou uma preocupação, devemos, sim, interceder junto a Deus com a mesma intensidade com que oramos pelo que desejamos ou pelo que nos preocupa.

Gastamos tanta energia reclamando e nos preocupando em vez orar. Em Tiago 5.13, lemos: “Está alguém entre vós aflito? Ore”. Simples assim.

Ezequiel 22 descreve os pecados de Jerusalém e anuncia o fogo do juízo sobre a nação. No versículo 30, Deus diz: “Procurei entre eles um homem que erguesse o muro e se pusesse na brecha diante de mim e em favor da terra, para que eu não a destruísse, mas não encontrei nem um só”.

O Senhor está de ouvidos abertos esperando homens e mulheres dispostos a interceder em favor de seu próximo.

 

Raquel Paganelli Antun
Membro da CBMoema

Book your tickets